https://www.manufaturaemfoco.com.br/wp-content/uploads/2012/09/img-tendencias-e-oport.jpg

Expansão do uso da internet possibilita prática de leilões reversos



A pressão por custos de produção cada vez menores reflete na busca de alternativas agressivas no suprimento das necessidades da manufatura

Com o contínuo e progressivo aumento da competitividade do mercado, as empresas se viram obrigadas a buscar novas alternativas dentro da área de suprimentos. Ante a essa necessidade, uma das soluções encontradas foi a prática dos leilões reversos, o que significou uma quebra de paradigmas nesse campo da administração. Embora não se tenha a data bem definida, estima-se que tal prática tenha começado no início da década passada.

Com a massificação do uso da internet, surgiu a oportunidade para a aplicação desse recurso, a fim de melhorar os ganhos nos processos de compras, principalmente das grandes corporações, que costumam comprar e consumir altos volumes de insumos e commodites. A prática promovia maior visibilidade às necessidades da empresa, em termos de suprimentos, que, com isso, atraía um maior número de fornecedores, aumentando assim seu poder de barganha. Por outro lado, as empresas que venciam as concorrências de fornecimento demonstravam competitividade e ampliavam as próprias chances de expandir seus negócios. Nenhum fornecedor se mantém, por muito tempo, nesse tipo de prática comercial, caso não seja suficientemente competente. Ainda hoje, ser um fornecedor campeão em tais leilões contribui para o fortalecimento da própria imagem, o que pode ser posteriormente explorado em ações de marketing.

Executados em ambiente aberto, os leilões facilitaram o acesso a um expressivo número de candidatos ao fornecimento de cada item colocado em pauta, para receber os lances. Isso também ajudou os compradores a exercerem maior pressão sobre fornecedores tradicionais que, por ventura, estivessem acomodados com o nível de proposta que vinham ofertando. A prática costuma atrair fornecedores das mais diversas origens e níveis de qualidade, portanto é comum haver uma pré-qualificação para que todos os participantes do leilão estejam à altura do que se espera em termos de qualidade e desempenho técnico.

Um fornecedor que arremate grandes volumes no suprimento de alguns itens de insumos ou commodites poderá alimentar a própria linha de produção por algum tempo, contudo estará sempre atento aos processos internos de melhoria contínua, pois sabe que os demais fornecedores que perderam a concorrência do último leilão irão se mexer para tentarem vencer os pedidos futuros. Quanto mais elevados forem os volumes e maiores forem os valores envolvidos, mais acirrada será a disputa, forçando os participantes do leilão a uma aprimorada revisão de suas estratégias de produção, a fim de reduzirem custos finais de fabricação, assim como a uma reanálise de suas margens de lucro, para com isso aumentar suas chances de êxito nos pregões.

Acesse e leia a matéria completa:


Não há comentários

Adicione o seu