https://www.manufaturaemfoco.com.br/wp-content/uploads/2014/10/a-luta-pelo-budget-ideal.jpg

A luta pelo Budget ideal



Em meados do segundo semestre do ano, muitas empresas – especialmente multinacionais e grandes companhias – iniciam a organização de relatórios para concluir onde os investimentos daquele setor foram feitos e quais resultados obtiveram. A partir disso, uma nova projeção é realizada com a análise desses dados. Rotina conhecida de muitos profissionais do marketing, entretanto apresentar os resultados pode ser um grande desafio ao profissional que luta por uma fatia maior do budget da empresa.

“Duas perguntas em marketing devem ser feitas a vida toda, primeira ‘por que’ e a segunda ‘por que não’? Mas a resposta deve ser coerente para as duas perguntas”, professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM – SP), Marcelo Chiavone Pontes.

Em tempos de crise econômica, é comum ouvir nos bastidores os cortes da companhia que, geralmente, incluem o setor de marketing. Depois de um ano como 2014, com muitas incertezas na economia e retranca nos investimentos, é ainda mais desafiador convencer a diretoria a não cortar o orçamento do departamento. O diretor da Brand Leader Comunicação e Marketing e também professor da graduação e MBA da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM – SP), Marcelo Chiavone Pontes, confirma que exista sim uma tendência de corte na área de marketing em períodos de crise; entretanto, também é verdade que um dos motivos para isso acontecer é a falta de clareza ou consistência nos resultados apresentados.

“Essa informação, na área de marketing, precisa ser quantificável. Não é fácil, mas é possível e mais fácil do que as pessoas pensam. É preciso argumentos quantitativos e qualitativos confiáveis para se apresentar”, explica Pontes.

“Fique atento às métricas questionáveis”, alerta o professor. As métricas utilizadas pelos profissionais de marketing podem deixar brechas para questionamentos sobre os resultados obtidos. É necessário comprovar com dados e números todos os resultados alcançados. Entretanto, Pontes lembra que cada caso é um caso.

Acesse e leia a matéria completa:


Não há comentários

Adicione o seu