https://www.manufaturaemfoco.com.br/wp-content/uploads/2013/07/img-tratamento-efluentes.jpg

O tratamento de efluentes líquidos e suas vantagens



Empresas engajadas em práticas sustentáveis de manufatura podem ser mais rentáveis mesmo que precisem investir no tratamento de efluentes líquidos.

No Brasil, as indústrias não podem colocar os efluentes líquidos por elas gerados em contato com o ambiente extrafabril sem que sejam devidamente tratados, exceto em casos em que as características desses efluentes estejam em conformidade com as exigências legais, o que dificilmente acontece. Subentende-se, desta forma, que na maior parte das vezes as indústrias precisam tratar os efluentes que geram. E assim sendo, podemos concluir que elas possuem duas diferentes alternativas.

A primeira alternativa consiste em tratá-los para posterior despejo e a segunda, em tratá-los para que sejam reaproveitados na própria indústria. A segunda opção é a mais recomendada, pois quando a industria trata os seus efluentes para que sejam reaproveitados, ela acaba diminuindo o consumo de água potável e os custos com tal consumo.

Contudo, para grande parte dos empresários, não basta este argumento para convencê-los da viabilidade econômica desse tipo de projeto. Sendo assim, demonstrarei, através de um exemplo hipotético, de que maneira devemos calcular dois importantes indicadores que servem de parâmetro para conhecer detalhes da viabilidade.

Empresas que investem em sustentabilidade, além da imagem positiva que projetam, podem se tornar mais lucrativas.

O primeiro deles é conhecido como prazo de retorno (pay back). Trata-se de um indicador que nos mostra quanto tempo será necessário para que o dispêndio de capital com o tratamento do efluente, para posterior reutilização, retorne aos cofres da instituição.

Acesse e leia a matéria completa:


Não há comentários

Adicione o seu